O ministro da Economia criticou esta segunda-feira aquilo que designou por "socialismo de boca" na venda da Portugal Telecom à Altice, alegando que a empresa esteve "muitos anos" ao "serviço de interesses egoístas" de "alguns" acionistas, mas que agora parece estar "em boas mãos".

"Não faz sentido um ministro falar de uma empresa que está nas mãos de privados e que me parece estar a chegar a boas mãos". "Houve muitos que desconfiaram deste investimento da Altice em Portugal. Alguns, repito, que andam sempre com o socialismo na boca mas que têm o coração e a cabeça cheio de preconceitos. Agora começa a perceber-se (…) como é importante atrairmos investidores e investimento privado para Portugal"



Sobre a PT, o ministro afirmou no seu discurso, na cerimónia de inauguração do referido call center, em Vieira do Minho, que "durante muitos anos esteve mais ao serviço de interesses egoístas, por vezes muito pouco legítimos, de alguns acionistas da instituição mais do que ao serviço das pessoas que a compunham e da economia", afirmou.

Já durante a visita às instalações daquela unidade, Pires de Lima foi confrontado com as notícias que dão conta da saída de elementos da atual administração da PT, mas preferiu não se prenunciar.

O titular da pasta da Economia deixou ainda críticas a quem não acreditava nos benefícios de uma eventual compra da PT pela Altice, por cerca de 7 mil milhões de euros, um negócio a ser concretizado este ano.

O governante aproveitou ainda o momento para lembrar que o "flagelo" do desemprego combate-se "atraindo" investimento privado e não por palavras "ocas" que "assustam" os investidores. "Combate-se com gestos de confiança, de fé como este que a Altice demonstrou ter em Portugal. Combate-se atraindo o investimento, nomeadamente o investimento privado".

O governante elogiou, um dos acionistas da Altice, o português Armando Pereira, natural de Vieira do Minho, por investir em Portugal e na sua terra natal.

"É com estes valores que se faz de Portugal um país menos de angustia e mais de esperança. Sentimento fundamental e determinante para consolidarmos este processo de recuperação económica", disse.

O call center hoje inaugurado já emprega cerca de 50 pessoas e tem como objetivo gerar mais de 150 postos de trabalho, fazendo parte da estratégia de investimento da Altice em Portugal que prevê um equipamento semelhante para a cidade da Guarda.

"Seja o primeiro de muitos, que cheguemos rapidamente aos 200 posto de trabalho e depois aos mil e dois mil", desejou o ministro.