O ministro da Economia, Manuel Pinho, apresentou a demissão, depois de ter recorrido a um gesto «inapropriado» e «injustificável», de acordo com o primeiro-ministro. José Sócrates já aceitou o pedido de demissão.

Veja o que diz Sócrates sobre o gesto «injustificável»...

... e a explicações de Pinho para ter perdido a cabeça

A pasta da Economia vai agora ser assegurada pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, uma decisão «adequada», dizem as associações da indústria.

Cavaco dá posse a Teixeira dos Santos segunda-feira

PSD: «Impunha-se consequência política»

PCP: «Fui o visado por esta injúria»

BE: Gesto vai perseguir PS até às eleições

Parceiros sociais satisfeitos com demissão

«CDS desde há muito tempo que pede demissão de Pinho»

Manuel Pinho marcou o debate do Estado da Nação, o último deste Governo do PS, - que se realizou esta quinta-feira na Assembleia da República - depois de ter encostado os dedos indicadores junto à testa, em resposta a um aparte do deputado do PCP Bernardino Soares.

O momento da polémica (vídeo)

Recorde as «gaffes» de Manuel Pinho

Numa altura em que se discutia no hemiciclo o encerramento das minas de Aljustrel, o parlamentar comunista explicou que se dirigiu a Manuel Pinto, recordando-lhe um episódio em que o governante teria entregue ao clube de futebol da localidade um cheque de cinco mil euros da EDP, e que a resposta do ministro foi aquela que se pode ver na fotografia que acompanha esta peça.

Veja o gesto da polémica (fotos)

Tudo sobre o momento que marcou o debate do Estado da Nação