Os parceiros sociais já reagiram aos resultados do PIB do segundo trimestre.

A Confederação do Comércio diz que esta é a altura de Portugal renegociar com a troika o programa de ajustamento para consolidar estes resultados.

Já a UGT aplaude o aumento do PIB, mas mostra-se cautelosa quanto ao futuro. A CGTP considera que os dados do INE indicam que «a economia continua em recessão», apesar da variação positiva face ao primeiro trimestre.