Portugal continua a crescer no terceiro trimestre, sobretudo com o maior empurrão dado pelo consumo interno, mas a verdade é que na comparação com os homólgos dos dois trimestre anteriores cresce menos.

O Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 2,5% em volume no terceiro trimestre de 2017 em termos homólogos. Um valor que fica baixo dos crescimentos verificados nos dois trimestres anteriores (2,8% no primeiro e 3% no segundo).

O contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB aumentou, verificando-se uma aceleração do consumo privado e um abrandamento do investimento", anunciou o Instituto Nacional de Estatística (INE) em comunicado.

Acrescentando que "o contributo da procura externa líquida foi negativo, contrariamente ao registado no trimestre anterior, refletindo a desaceleração em volume das exportações de bens e serviços e a aceleração das importações de bens e serviços."

Comparativamente com o segundo trimestre de 2017, o PIB aumentou 0,5% em termos reais, mais 0,2 pontos percentuais que no trimestre anterior. Mas desceu em crescimento se olharmos para o primeiro trimestre quando a variação do PIB foi de 1%

"O contributo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB passou de negativo a positivo, observando-se um aumento das exportações de bens e serviços superior ao das importações de bens e serviços", diz o documento.

Já "o contributo da procura interna diminuiu ligeiramente no 3º trimestre, devido à redução do investimento, tendo o consumo privado aumentado (variação negativa no trimestre anterior)."

Mesmo assim, e se excluirmos o ano de 2017, desde o terceiro trimestre de 2010 que a economia não crescia tanto.