Os preços do petróleo crude recuavam esta segunda-feira nos mercados europeus, perdendo mais de 4 por cento, pressionados pela decisão da OPEP de manter as quotas de produção.

Cerca das 10:45, no InterContinental Exchange de Londres, o Brent do Mar do Norte para entrega em Abril, no último dia de cotação, cedia 1,97 dólares face ao fecho de sexta-feira, para 42,96 dólares.

Em Nova Iorque, o barril de «light sweet crude» para entrega em Abril perdia também 1,97 dólares para 44,28 dólares.

Enquanto as cotações do crude tinham subido a semana passada na esperança de um novo corte de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), o cartel não concretizou estas expectativas.

Os ministros da OPEP, reunidos domingo em Viena, mantiveram as quotas actuais até uma próxima reunião em Maio, para dar-se o tempo de aplicara totalmente as anteriores baixas de produção decididas em 2008 e deixar aos dirigentes do G20 o tempo de combater a crise económica mundial.

A OPEP decidiu no ano passado reduzir a sua produção em 4,2 milhões de barris por dia no total, face ao nível de Setembro, na esperança de travar o desmoronamento dos preços do crude, mas estas baixas só terão sido aplicadas em 80 por cento.

Os membros sujeitos às quotas devem ainda reduzir a produção de 800.000 barris por dia, para atingir os objectivos.