O PCP requereu esta sexta-feira a audição parlamentar do presidente da EDP e exigiu ao Governo que «intervenha» para baixar os preços da energia face aos lucros «recorde» da empresa divulgados esta quinta-feira e no actual «quadro de crise», noticia a Lusa.

«O conhecimento dos resultados líquidos, um recorde na história da empresa, evidencia duas coisas: que é possível a diminuição da factura energética dos consumidores domésticos e das empresas e o escândalo dos aumentos propostos pela EDP!», afirmou o deputado do PCP Agostinho Lopes aos jornalistas no Parlamento.

Lucros de mais milhão de euros

«São aumentos que num quadro de crise como que vivemos não podiam existir». Para os comunistas, o pedido de audição de António Mexia no Parlamento justifica-se perante aos resultados da empresa em 2008, que revelaram «lucros de 1.091.9 milhões de euros, o maior resultado de sempre da EDP, com um crescimento de 20.3 por cento face a 2007».

Agostinho Lopes defendeu ainda a «necessidade de uma intervenção do Governo para reduzir a factura energética dos portugueses» para que os «preços da energia eléctrica possam baixar. É uma evidência que tem sido à custa dos portugueses», respondeu o deputado sobre possíveis razões para os lucros divulgados de 2008 pela empresa.

Questionado pelos jornalistas sobre se estes resultados da empresa podem ser positivos para o país numa altura de crise, o deputado do PCP considerou que não: «O Estado tem uma participação quase simbólica na empresa».

O comunista criticou ainda o facto de comparativamente, Portugal ser «um dos países da União Europeia» em que os consumidores «pagam mais pela energia».