O Parlamento Europeu (PE) defendeu hoje uma «reação clara, forte, seletiva e unida» da comunidade internacional aos ataques químicos na Síria «sem excluir eventuais medidas de dissuasão».

Numa resolução votada no dia em que os chefes da diplomacia dos Estados Unidos e da Rússia se reúnem em Genebra para discutir o desmantelamento do arsenal químico sírio, o PE condenou «com a maior firmeza o massacre de civis» no ataque ocorrido a 21 de agosto, nos arredores de Damasco e referiu que «diferentes fontes indicam que o regime sírio» é «responsável».

«Perante esta chocante utilização de armas químicas, a comunidade internacional não pode permanecer inativa», considerou o PE, apelando a uma resposta «clara, firme, seletiva e unida, sem excluir eventuais medidas de dissuasão», para demonstrar que estes crimes são inaceitáveis e evitar qualquer nova utilização de armas químicas na Síria ou em qualquer outro local.