As contas da campanha eleitoral aí estão, apresentadas na página na internet da Entidade das Contas e Financiamentos Políticos, organismo do Tribunal Constitucional.

Tudo somado, os sete partidos com representação parlamentar gastaram perto de dez milhões de euros na campanha eleitoral para as legislativas de 2015.

A coligação Portugal à Frente, que juntou PSD e CDS-PP, apresentou despesas no valor de 4,3 milhões de euros, cerca de um milhão e meio de euros a mais do que o apresentado no orçamento de campanha (2,8 milhões de euros).

Mais comedida foi a outra coligação concorrente, a CDU, que congrega PCP e PEV, que gastou 1.245 milhões de euros na campanha para as legislativas de 2015.

No segundo lugar das despesas, surge o PS, partido que acabou por ficar a governar. Os socialistas gastaram 3,228 milhões de euros, mais 624 mil euros do que tinham previsto.

À esquerda, o BE gastou 839 mil euros na campanha.

Elegendo apenas um deputado, o PAN foi também o mais comedido nos gastos, de entre as forças com assento parlamentar: fez a festa com pouco mais de 32 mil euros.