O eurodeputado, Francisco Assis, afirmou que «por uma questão de princípios» não adere a abaixo-assinados, e espera, apenas, que a crise política do Partido Socialista seja resolvida o mais rápido possível.

No programa «Prova dos 9», o também comentador da TVI quis deixar claro que, na sua opinião, não havia «razão para abrir esta crise política», referindo-se à «luta» pela liderança entre António Costa e o atual secretário-geral do PS, António José Seguro, mas uma vez aberta, espera que esta seja uma oportunidade para «um debate de ideias», e não se fique por «um confronto de figuras».

«Não havia nenhuma razão para abrir esta crise política, mas ela foi aberta e não há nenhuma dúvida que existe. Não podemos fechar os olhos à realidade, é evidente que há um movimento com expressão dentro do partido socialista que pretende uma solução alternativa à atual liderança do PS. (¿) [Mas] isto não é nenhuma guerra civil. É importante que isto seja um debate de ideias e não seja apenas um confronto de figuras».