“Ou de facto António costa avança e consegue este acordo, que era uma coisa inimaginável há três semanas. (…) Ou então não consegue e o PS vai ser obrigado a viabilizar o Governo de Passos Coelho, mas aí António Costa terá de tirar as consequências que não tirou na noite eleitoral e demitir-se.”

“António Costa iniciou hoje um caminho de não retorno. Um caminho arriscadíssimo, porque não sabe se vai haver acordo ou não, embora todas as indicações apontem nesse sentido. E é arriscadíssimo porque vamos ver como é que se faz a quadratura do círculo de se ter um Governo que, ao mesmo tempo, cumpre as metas orçamentais e cumpre as metas internacionais (…) e como é que se consegue ao mesmo tempo satisfazer as exigências que têm sido colocadas pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Comunista.”





“O Governo fez disso uma das suas bandeiras: o Desemprego está a descer e o emprego está a subir. Este número mostra de facto como é que sobe a taxa de emprego e que tipo de emprego tem sido criado em substituição do outro que se perdeu. É um emprego precário, um emprego ilegal, um emprego mal pago.”