"Atónita, chocada, abalada". Uma troika de sentimentos foi o que a comentadora da TVI, antiga líder do PSD e antiga ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite conseguiu expressar na reação aos resultados do PSD nestas eleições autárquicas. Passos Coelho tem condições de continuar a ser líder? "Não, não tem", disse na TVI.

Estou atónica, chocada. Os resultados são demasiadamente maus para uma pessoa como eu, que gosto do partido, não estar um bocadinho abalada". 

Ferreira Leite diz que "não são indiferentes" os resultados de Lisboa e do Porto. Fernando Medina (PS) ganhou em Lisboa e Teresa Leal Coelho ficou em quarto lugar, segundo as projeções da Intercampus para a TVI.

A candidatura de Teresa Leal Coelho "apareceu tardiamente" e "foi uma candidata do líder do PSD". Nesse sentido, também Pedro Passos Coelho "foi a eleições", afirmou. Ao mesmo tempo, a antiga ministra considera "lastimável" que o "núcleo duro" do partido tenha "simplesmente desaparecido" nestas eleições.

No Porto, Rui Moreira ficou à beira da maioria absoluta. Álvaro Almeida, do PSD, ficou-se pelo terceiro lugar, com apenas um ou dois mandatos. Estes números refletem uma descida significativa em relação há quatro anos, quando Luís Filipe Menezes obteve 21,06 por cento dos votos.

A antiga ministra das Finanças do PSD lembrou que Passos Coelho governou numa altura difícil, sim, mas também lembrou que Paulo Portas, "inteligentemente", se afastou da política e Passos não. Tem agora condições de continuar? "Não, não tem".

"Única questão é saber a que horas Passos se demite"

Também o comentador da TVI e advogado José Miguel Júdice, que em 2007 aceitou ser mandatário da candidatura de António Costa a à câmara de Lisboa, pede a demissão de Passos Coelho 

A única questão destas eleições é saber a que horas Passos Coelho se demite. Tudo o resto era o esperado e o óbvio".

De resto, entende que todos os outros partidos "se aguentaram melhor ou pior":

O PS teve um resultado "que potencia a maioria absoluta daqui a dois anos, o CDS conseguiu o seu objetivo e o PSD de facto, para quem o conheceu, só pode concluir que Passos Coelho estava morto só que ninguém teve a coragem de o dizer".

 

AO MINUTO: acompanhe aqui