Fernando Rosas considera que Passos Coelho “mentiu e omitiu” na emissão especial da TVI e TVI24 “Tenho uma pergunta para si”. No programa “Prova dos 9” da TVI24, Fernando Rosas sublinhou que o primeiro-ministro mentiu em relação aos pobres, ao Serviço Nacional de Saúde, aos estágios, à educação.

“Disse que os pobres foram poupados, mas é mentira: agravou-se o abono de família, o subsídio de doença. Sobre o Serviço Nacional de Saúde diminuiu os médicos e os enfermeiros fugiram. Estágios: mentiu com todos os dentes que tem na boca quando diz que está comprovado que 70% dos estagiários encontram emprego. Mentiu quando falou da educação pois mandou para a rua um grande número de professores.”


O fundador do Bloco de Esquerda lamentou ainda que a entrevista tenha passado ao lado da dívida, da precariedade e do facto de ainda haver um milhão de desempregados.

Já Francisco Assis considera que Passos não teve “nenhum olhar para o futuro”. O socialista afirmou que o primeiro-ministro usou a linha de argumentação que tem apresentado ao longo de toda a legislatura e que assenta na crise como justificação para tudo.

"Formalmente o primeiro-ministro não esteve mal. Há uma justificação permanente das medidas que tomou. Não há nenhum olhar para o futuro. Há uma linha de argumentação que vai marcar a campanha eleitoral: é uma teoria errada e falsa acerca da crise e uma tentativa de justificar tudo com essa crise."


Para Assis, Passos fez esta quinta-feira o que sempre fez ao longo da governação: responsabilizar a crise e o governo anterior, de José Sócrates.

Pelo contrário, Paulo Rangel afirmou que Passos demonstrou uma linha condutora de futuro e não de passado, sublinhando que a coligação promete crescimento, sim, mas com "prudência".

"Há aqui uma linha condutora e até é de futuro não é de passado. Aquilo que a coligação promete é: nós estamos a crescer num rumo que criou confiança nos mercados e vamos continuar estas medidas com certo alívio, mas com prudência. Não vamos deixar que Portugal caia na situação de outros países."