Jean-Claude Juncker, o presidente da Comissão Europeia, fez esta quarta-feira um apelo aos líderes europeus para que passem da retórica à prática na questão dos migrantes. O jornalista Paulo Ferreira destacou, pela positiva, este apelo na rubrica "Sobe e Desce", no programa de informação 21ª Hora, na TVI24.

"A Europa tem andado de cimeira em cimeira sem colocar em prática decisões". Entre as medidas que ainda não estão no terreno está, por exemplo, a distribuição de 40 mil migrantes pelos países europeus.

"Chega de palavras. Todos os dias o drama está nas nossas televisões. Se a Europa não serve para lidar com isto, não sei para que é que serve a Europa, de alguma maneira, e o espírito europeu".


Neste "Sobe e Desce" do dia 26 de agosto, Paulo Ferreira deu nota negativa ao presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, por causa do confronto com a Uber. 

"O que estamos a assistir é um conflito entre formas de estar na economia e na atividade económica antigas, de alguma forma ultrapassadas, e novas formas. É um desafio tecnológico, que já ocorreu noutras áreas de atividade, com a internet, as aplicações, os smartphones", começou por contextualizar o jornalista. 

"A Uber tem uma aplicação que as pessoas gostam, chamam o taxi onde querem, sabem quanto é que vão pagar, a que distância está o taxi, pagam com uma transferência de dinheiro, sem o problema dos trocos. A ANTRAL levanta a questão não apenas de querer que a Uber seja regulamentada, mas quer basicamente fechar a concorrência"


Os taxistas estarão em greve contra aquela empresa no dia 8 de setembro.