Manuela Ferreira Leite comentou, esta quinta-feira, no programa «Política Mesmo», da TVI24, a entrevista de Passos Coelho à RTP, esta quinta-feira, afirmando que  «as pessoas não são números».

«Isto não são apenas números. A realidade não está ajustada ao que as pessoas sentem. Os números podem estar certos, mas as pessoas não o sentem», justificou.


A comentadora salientou ainda que o futuro de Portugal vai depender do que se passar na Europa e que esta está «assustada».

«A Europa está assustada por causa do desemprego, do crescimento muito ténue. Perante este susto que é o desemprego muito elevado tem tomado posições muito drásticas», referiu.

Para Ferreira Leite, o país precisa de reduzir a despesa pública pela via do crescimento, algo que, segundo a comentadora, não se consegue com o nível de impostos do Governo.

«Precisamos de reduzir a despesa pública pela via do crescimento e não há crescimento com este nível de impostos», afirmou.

Manuela Ferreira Leite recusou comentar o caso Sócrates, argumentando que também não teceu considerações quando estava em campanha eleitoral contra o antigo primeiro-ministro, na altura do caso Freeport. Contudo, salientou que o caso traz embaraço para o Partido Socialista na medida em que, em situações idênticas que envolviam o PSD, o PS utilizou-as como «armas de arremesso», tendo exemplificado com o caso do BPN.

«O caso do BPN foi utilizado como arma de arremesso pelo PS», justificou.