Manuela Ferreira Leite acredita que o Governo deve poder intervir na venda da Portugal Telecom (PT), e outras empresas privadas, se isso significar que se evitam perdas na economia nacional.

No programa «Política Mesmo» da TVI24, Ferreira Leite referia-se ao manifesto subscrito por diversas personalidades como Bagão Félix, Francisco Louçã, Freitas do Amaral e Manuel Carvalho da Silva que apela a um resgate da PT, e disse que o facto desta empresa ser privada, não é desculpa para que o Governo não faça alguma coisa.

Manuela Ferreira Leite não acredita que Portugal seja penalizado se não cumprir défice

«Não é [pelo] facto de [a PT] ser privada que o Governo não tem obrigação de fazer alguma coisa para evitar o desmantelamento de empresas que possam ter efeitos nocivos na economia nacional. (…) É normal que se peça a um Governo que pondere se é ou não possível não haver um desmantelamento. E a única resposta [do Governo] é: “o Governo está atento mas não se mete nos privados”».

Quando questionada sobre se o Governo não deve deixar que o «mercado funcione sozinho», a comentadora afirmou que o executivo deve estar atento a estas grandes empresas, e intervir se necessário, porque não acredita na «sacralização do mercado».

«Eu acredito no mercado, mas não acredito na sacralização do mercado, isto é, o mercado falha. Quando falha, é bom que haja instituições públicas que tentem corrigir aquilo em que falhou», disse Manuela Ferreira Leite.