Marcelo Rebelo de Sousa fez questão, este domingo, de separar os dois casos de violência entre jovens que impressionaram a opinião pública na última semana. O caso da morte de um adolescente, em Salvaterra de Magos, por outro um pouco mais velho impressionou particularmente o comentador da TVI.
 

“O caso do homicídio impressiona no quadro dos homicídios em geral, por serem dois jovens e por ser particularmente violento.”

 
Quanto ao caso do vídeo da Figueira da Foz, em que um adolescente é agredido por outros jovens, sem “desvalorizar”, Marcelo Rebelo de Sousa, procura “desdramatizar”.
 

“Primeiro que temos a noção de que o que está a suceder agora nunca sucedeu na sociedade portuguesa. No então, sabemos que sucedia e sucedia a vários níveis. Às vezes entre professores e alunos, entre alunos e alunos, em determinadas escolas e determinadas idades, dentro da escola e fora da escola.”

 
Para o comentador, mudou, acima de tudo a “censura social”. “E ainda bem! Havia coisas que aconteciam e eram aceitáveis e a censura social é mais forte é mais atenta do que era na altura”, recordou.
 
Mas, considera Marcelo, mudou também a mediatização dos casos: “Há um conhecimento maior do que se passa. Isso foi com a televisão, mas sobretudo com a internet. Porque você hoje está em qualquer sítio (…) e alguém pega num telemóvel e fotografa ou filma e coloca no Facebook”. E não deixa de achar estranho que o caso tenha acontecido há um ano e só agora o vídeo tenha sido divulgado, “porque estas coisas surgem na hora, instantaneamente”.
 
 
Ainda sobre o caso concreto, o comentador critica a divulgação do vídeo sem distorcer a cara dos envolvidos. “É uma forma muito pouco civilizada de lidar com jovens ou crianças, que devem ter a sua identidade preservada e acautelada”, resumiu.
 
 
Mas há um fator que preocupa o comentador da TVI: “Vivemos numa sociedade em que há uma certa crise de valores. Toda a gente respeita, em teoria, toda a gente. Mas depois respeitar, no dia-a-dia, o outro concreto, de carne e osso, com quem se convive, sobretudo quando é mais fraco, é mais difícil e isso é um problema de valores. Não só na sociedade portuguesa, mas em geral”.
 
“E depois há um agravamento disto em tempo de crise, porque é evidente que a violência aumenta na família. Não é por acaso que a violência doméstica aumentou, que a violência entre namorados aumentou. Aumentou a violência nas escolas, aumentou a violência entre os jovens”, lamenta também Marcelo Rebelo de Sousa.
 
Por causa da conquista do bicampeonato por parte do Benfica, que Marcelo Rebelo de Sousa considerou “um justo vencedor” ( veja o vídeo abaixo), o comentário deste domingo foi encurtado.


 Marcelo Rebelo de Sousa fala sobre o bicampeonato do Benfica
 
O habitual comentário passou assim para o Jornal das 8 desta segunda-feira. Marcelo Rebelo de Sousa promete falar, entre outros casos, do processo de privatização da TAP e do livro sobre José Sócrates.