Constança Cunha e Sá comentou a confirmação do Governo sobre a manutenção da sobretaxa do IRS durante o próximo ano e afirma que esta é a prova que a economia portuguesa não vai crescer como se previa, e que a carga fiscal sobre os portugueses não vai diminuir.

A comentadora da TVI24 considera que, com estes dados, está provado que a «troika saiu do país, mas o país não saiu da troika».

«Ao contrário do que tem sido anunciado, não vai haver alívio fiscal nenhum em sede de IRS, no IRC houve e vai continuar a haver, mas no que toca ao IRS não há. (…) A ministra [das Finanças] diz que os compromissos que tínhamos são para manter, algo interessante de se dizer, depois de termos comemorado o dia da "libertação". Chegamos à conclusão que a troika saiu do país, mas o país não saiu da troika».

Cunha e Sá desvaloriza a eventual possibilidade da devolução do montante pago pelos contribuintes já em 2016, que para a comentadora não passa de mais uma promessa feita a pensar nas eleições.

«[Esta promessa] permite que agora o Governo [diga] "agora não, mas depois" (…), para quando chegar a altura das eleições, já com duas execuções em curso e se a receita fiscal continuar a subir, ou subir nos termos deste ano, termos um Governo que vai fazer a sua campanha eleitoral assente [em]: "se ganharmos as eleições, connosco os impostos vão diminuir". E o Governo acha que é desta foram que vai entalar o Partido Socialista», disse Cunha e Sá.