O comentador da TVI, Paulo Ferreira, considera que o ex-primeiro-ministro José Sócrates se tornou o grande “protagonista” dos últimos dias, um feito “impressionante” numa altura tão próxima das eleições, quando Sócrates não é candidato.

Na rubrica “Sobe e Desce” na TVI24, Paulo Ferreira coloca Sócrates a “subir”, por continuar a “dominar o espectro político”, posição contrária à do governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, que coloca a “descer”, depois das últimas notícias que dão conta que o Novo Banco provavelmente não será vendido antes das eleições.

A subir: José Sócrates

“[Estamos muito perto da campanha eleitoral] e o grande protagonista dos últimos dias é José Sócrates. Não por causa do seu processo, mas em termos políticos. José Sócrates faz uma declaração banal a um jornal, a dizer que apoia o PS e António Costa – surpresa seria se apoiasse outro candidato – e é notícia. Sócrates assiste ao debate em casa com um grupo de amigos e é notícia… José Sócrates é o protagonista ausente do debate que houve em António Costa e Passos Coelho.”

"É impressionante como um homem que não governa o país há quatro anos, que está com problemas sérios com a justiça, ainda para serem resolvidos, continua a dominar o espectro político e é um protagonista incontornável desta eleição.”

 
A descer: Carlos Costa

“Esta é uma derrota para os calendários do Banco de Portugal: não vender o Novo Banco até ao dia 31 de agosto. A negociação com o primeiro comprador, a Anbang, não correu bem, o dia 31 passou, fechou-se negociação, foi chamado um segundo, a Fosun, com quem se teve em conversas até agora e aparentemente também fracassou. (…) [O problema é que] o comprador não sabe o que vai encontrar no Novo Banco.”

“[Isto traz uma consequência para a dívida] porque o Estado estava a contar com a receita de 3,9 mil milhões de euros, que foi o empréstimo feito, através de fundos da troika. (…) Em relação ao défice vamos ver como é que as conversas com a Comissão Europeia, nomeadamente com o Eurostat, vão evoluir para saber como vai ser contabilizada esta operação”.