Manuela Ferreira Leite comentou, esta quinta-feira, no programa "Política Mesmo", a possível nacionalização do Novo Banco. A comentadora da TVI24 afirmou que é difícil "dizer concretamente se a melhor solução é a venda do banco ou se é a nacionalização" porque o que é mais importante é fazer o "melhor para defender os interesses do país".

Qualquer proposta que seja de resolução da situação do BES - ou do Novo Banco - a boa proposta será com certeza aquela que for melhor para defender os interesses do país no sistema financeiro."

Apesar de considerar "difícil dizer concretamente se a melhor solução é a venda do banco ou se é a nacionalização", por considerar que isso depende "muito daquilo que forem os factos concretos que vierem a ocorrer nessa matéria", Ferreira Leite afirmou que não faz parte "das pessoas que algum dia pensaram que o desabar da maior instituição privada financeira do país não tinha qualquer custo para o país, nem para os contribuintes, nem para ninguém".

Portanto, evidentemente que não me espanta que haja problemas sérios em termos de custos que poderá vir a ter para os contribuintes e para o sistema financeiro."

Para a comentadora da TVI24, a possibilidade de venda do Novo Banco "ainda está em fase de análise" e ainda "falta muito tempo" para que seja necessário tomar uma decisão.

Não me parece que seja bom haver uma data fixada porque no fundo conduz a que a solução seja só mesmo nessa data, o que desvaloriza, provavelmente, o valor do banco."

Manuela Ferreira Leite falou ainda sobre o facto de, neste momento, não haver um banco português que não tenha problemas, considerando que "esse é um aspeto a que temos de estar atentos".

Temos de estar atentos à entrada/permanência da troika no país, que não resolveu em nada o problema do sistema financeiro."