"É um acordo tem de ganhar legitimidade pela governação, porque à partida nasce coxo. E nasce coxo porque o PS na prática perde as eleições".


“Quer Jerónimo de Sousa, quer Catarina Martins, ambos sabem que essa liberdade de atuação está condicionada pelo exercício e pelo apoio à governação e sabem muito melhor do que nós os riscos do que estão a fazer. E também sabem que é um caminho que uma vez entrados não é fácil sair”.






"Toda a gente compreende que um governo de gestão é francamente pior. Qualquer atraso que Cavaco Silva faça neste processo aumenta a instabilidade e é contraditório com o que ele diz sobre o comportamento e os mercados dão à estabilidade".


ideologicamente opostos é um entendimento que “só pode funcionar na fase da boa fé - quem for para ali tentar retirar proveito políticos de curto prazo, vai dar-se mal”.