"Os eleitores devem exigir grande prudência, grande cuidado e grande rigor".

Por sua vez, a menos de um mês das eleições legislativas, o antigo ministro das finanças de José Sócrates, Luís Campos e Cunha, diz que o próximo executivo vai ter de continuar a contar os tostões todos os meses, mesmo que saiba para onde quer ir.

"Ter uma ideia para o país e o que é que vai acontecer nos próximos anos é importante. Não navegar à vista, mas ter uma ideia para o país é o mais importante".