detenção de José Sócrates

«Penso que ele sabia o que ia acontecer. Escolheu o momento, dentro dos possíveis, e foi adiando, e eu presumo que sabia porque  na quinta-feira foram ouvidos o motorista, o advogado e o amigo (...) Já saberia mais que não fosse para combinar com o motorista que o fosse esperar» ao aeroporto (...). Sabia o que o esperava, provavelmente já sabia da investigação e nós já sabíamos que ele sabia» da investigação ao caso Monte Branco







«Sim e não. Sim, porque ninguém estava à espera. Não, porque já se falava há muito tempo de investigações a José Sócrates. Já no verão cheguei a ter jornalistas que me disseram num dia que ele ia ser detido e não se confirmou»






«Deve tratar igualmente todos os cidadãos e não há ninguém acima da lei, mas atenção dos portugueses e estrangeiros está centrada» nisto. «É um grande teste. Temos muitos casos que acabam em prescrições, alguns em meias decisões (que pode ter toda a lógica de prova, mas pessoas questionam [aqui lembra o caso de Camarate]. As pessoas querem uma justiça rápida. E, segundo, uma justiça clara. Que fique a certeza que a justiça funcionou na plenitude»

consequências políticas a retirar serão muito complicadas para António Costa e para o Partido Socialista

«A Justiça tem de melhorar na comunicação à comunicação social e aos portugueses, para não cair na tentação de fugas de informação e nesta coisa horrível de [os órgãos de comunicação social estarem] a filmar atrás da janela», interrogando-se se José Sócrates estará ou não a ser interrogado.