Marcelo Rebelo de Sousa entende que o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, «fez bem» em demitir-se do Governo, na sequência da investigação ao caso dos vistos gold, que envolve membros do seu ministério, amigos pessoais e sócios. «Não tinha outro caminho», considerou o professor, no seu comentário habitual no Jornal das 8 da TVI, este domingo.

«Miguel Macedo foi dos melhores ministros deste governo, discreto, sereno, calmo, eficiente, numa pasta muito difícil. Não tinha outro caminho e quando uma pessoa não tem outro caminho, quanto mais cedo melhor, e ele sabe isso. Ele estava muito determinado [em sair] e bem»

Marcelo disse que o caso dos vistos gold poderia fazer ruído se o ministro demissionário se mantivesse em eleições. Sobretudo tão perto de um ano eleitoral. 

«Nesta fase, mesmo antes do período do eleitoral [é preciso] estar convicto e ter força politica para estar no Governo. Não havia nada de jurídico contra ele, sabemos disso, mas havia quadros muito importantes do seu ministério que estavam sob investigação, pessoas que se cruzaram na sua vida. De alguma maneira iriam ser ruído permanente cada vez que fosse ao parlamento ou fizesse qualquer coisa» 


Tanto que, lembrou, «quanto se sabe havia escutas de conversas com o envolvidos. Mesmo quando não têm nada a ver com nada causam logo especulação».  

Elogiando a decisão, Marcelo Rebelo de Sousa rematou, dizendo que Miguel Macedo fez uma «ponderação muito fria e muito serena». Adiantou que não falou com ele, mas como o conhece «muito bem», há largos anos, não te dúvidas que «fez o que devia fazer».