As últimas sondagens sobre as legislativas revelam “uma tendência de aproximação entre o PS e a Coligação”, algo que seria impensável “há três, quatro, cinco meses”, afirmou este domingo o professor Marcelo Rebelo de Sousa, no seu espaço habitual de comentário no Jornal da 8 da TVI.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, um dos problemas de António Costa é o caso que envolve o ex-primeiro-ministro, José Sócrates.

“Quando José Sócrates foi preso eu disse aqui que se António Costa conseguisse ganhar as eleições era um génio”, lembrou o professor. “Sócrates tem um grande protagonismo e divide a sociedade portuguesa (…) e Sócrates também divide o PS”, conclui.


Mas esta não é a única questão no caminho do líder socialista.

A posição pouco clara relativamente à Grécia e a escolha de Ferro Rodrigues como líder parlamentar são outros problemas. Para o professor, o líder da bancada do PS nunca conseguiu ganhar nenhum debate contra Pedro Passos Coelho.

Todavia, a necessidade de ganhar votos à esquerda também prejudica António Costa, porque este sabe que se ganhar as eleições “vai ter de governar ao centro”.

Marcelo Rebelo de Sousa não tem dúvidas que as últimas sondagens reforçam a ideia de que é inevitável haver compromissos de regime ao centro. Porque sem eles, na sua opinião, não será possível ao PS ou à coligação PSD/CDS governar: "É cada vez mais vai ser necessário haver compromissos de regime"

Além do mais, o professor lembra que o líder rosa tem feito campanha sozinho e está, de alguma forma, isolado dentro do partido. Sem poder contar com apoiantes de José Sócrates e de António José Seguro.