Marcelo Rebelo de Sousa critica o facto do governo de Passos Coelho ter deixado cair a goldenshare da PT.
 
«Pedro Passos Coelho tem razão quando diz que José Sócrates colou aquela estratégia, cobriu aquela estratégia, utilizou aquela estratégia, e portanto, não há duvida que aí há uma responsabilidade óbvia do governo socialista liderado por Sócrates. Agora, eu acho que isto não justifica a forma ligeira como ele deixou cair a golden share. O governo, por uma questão de neoliberalismo puro, deixou cair a golden share e não substituiu por um acordo parassocial, foi já no governo de Passos Coelho que ele deixou cair a golden share, isso é que é imperdoável, menos grave do que o caso Sócrates, mas é imperdoável», afirmou.
 
O comentador da TVI diz que a intervenção de José Sócrates na PT foi desastrosa, mas passos coelho perdeu a oportunidade ter uma atuação virtuosa.
 
«A intervenção Sócrates [na PT] foi desastrosa, mas a intervenção Passos Coelho podia ser virtuosa», relembrou.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que Cavaco Silva não tem margem de manobra para antecipar eleições e alerta para lapsos jurídicos na entrevista que o Presidente da República deu ao Expresso.

«Cavaco Silva não tinha espaço de manobra», afirmou, acrescentando que a «entrevista é aquilo que se esperaria».

Sobre os magistrados expulsos de Timor-Leste, Marcelo Rebelo de Sousa diz que a decisão de Xanana Gusmão é inaceitável e criou sarilhos desnecessários, considerando ainda a reação do governo português como suave.

«Nunca devíamos ter mandado juízes para fazer de juízes. Para formar juízes, sim, mas para serem juízes em Timor foi um erro», afirmou.