Manuela Ferreira Leite considera que afastar Carlos Costa do Banco de Portugal seria uma decisão “insensata e irresponsável”. A comentadora afirmou, esta quinta-feira, na TVI24 que o Governo “lida muito mal com organismos independentes” e que a polémica em torno do governador do Banco de Portugal só prejudica o país.

“O Governo claramente mostra que não convive bem com instituições independentes”, sublinhou.

Para Ferreira Leite, o Banco de Portugal “é uma instituição credível e o que houve foi uma tentativa de a descredibilizar”.  Algo que, frisou, só prejudica o país. A antiga ministra das Finanças sublinhou que Portugal precisa de "instituições credíveis e respeitadas" na União Europeia.

“É verdadeiramente importante para o país que as instituições funcionem e sejam credíveis. Há uma instituição de referência neste país, há várias aliás, mas uma delas é seguramente o Banco de Portugal.”

A comentadora considerou que a polémica é uma "guerra pessoal com uma instituição" e que vem pôr em causa os indicadores que poderiam levar a uma maior confiança.  

 “O que mais me surpreende nesta questão é como é que, havendo indicadores que poderiam levar a uma maio confiança, tentamos derrubar isto tudo com uma guerra pessoal com uma instituição, descredibilizando a instituição e levando a que isso possa ser um elemento verdadeiramente negativo no caminho que estamos a trilhar. O meu espanto é como é que este Governo envereda e deixa que se alastre a ideia de uma ideia de tentativa de minimização do papel do Banco de Portugal."