Manuela Ferreira Leite disse, esta quinta-feira, que a polémica das taxas turísticas em Lisboa só prova que a campanha eleitoral para as legislativas de 2015 já começou. Na TVI24, a comentadora criticou os membros do Governo que comentaram a decisão do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, quando antes nunca disseram uma palavra sobre o IMI, por exemplo.
 
«Aquilo que eu achei, quando vi essa polémica, foi de que estávamos verdadeiramente em campanha eleitoral nos seus aspetos mais mesquinhos. Porque há problemas sérios que são tratados pelas autarquias como, por exemplo, (…) o caso do IMI. Já viu algum membro do Governo preocupado a defender que o IMI não pode ter uma taxa tão elevada?», questionou a comentadora no programa «Política Mesmo».
 
Numa alusão às críticas de Paulo Portas a António Costa, Manuela Ferreira Leite também perguntou: «Quando se mudou o IVA da restauração para 23% isso não foi matar a galinha dos ovos de ouro, isso não fez nada ao turismo? (…) Isso não abalou o turismo e agora um euro por dormida é que vai abalar o turismo? (…) Tenho uma enorme dificuldade em considerar que por causa de um euro numa dormida os turistas fujam todos».

No mesmo programa, e em relação às 11 detenções efetuadas pela PJ por suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais relacionados com atribuição de vistos gold, Manuela Ferreira Leite disse que sempre considerou «arriscado» esse tipo de investimento. A comentadora afirmou que, a confirmarem-se as suspeitas de que há altos quadros do Estado envolvidos, o caso pode gerar um sério problema político.