Manuela Ferreira Leite considera que «é ridícula» a ideia avançada pelo primeiro-ministro de que Portugal se pode vir a tornar num dos países mais competitivos do mundo.

A comentadora da TVI24 diz que gostaria de saber em que dados se baseia essa expetativa do Governo, já que com a atual carga fiscal e com um «investimento inexistente» no país, tal possibilidade não parece ser credível.

«Quando o primeiro-ministro diz que o país se vai tornar o país mais competitivo, já nem sequer é da península, nem da Europa, mas do mundo. Eu não duvido nada, gostaria é que me dissessem em que é que se baseia esta expectativa, porque eu, simples mortal, não consigo imaginar por onde é que [isso vai acontecer]. Para mim isso é uma frase ridícula. Na situação em que estamos, dizerem-me que [vamos ser] o país mais competitivo do mundo com uma carga fiscal que sabemos qual é, com investimento inexistente, é a Alice no País das Maravilhas, [e] não é disso que nós vivemos».


Veja também: Esta «onda de greves choca-me»


Ferreira Leite vai mais longe e diz que até os sinais positivos atuais da economia não foram uma consequência da política deste Governo.

«Os sinais que podemos considerar positivos não resultam por a política que foi seguida ter sido a correta. Pelo contrário, ela foi tão incorreta que até o FMI, presentemente, diz que Portugal foi dos países que aplicou com mais eficácia, negativa, políticas que eram contrárias à situação que nós estávamos», acrescentou.