"A senhora Lagarde anunciou há meia dúzia de dias que está disponível para exercer um segundo mandato à frente do FMI. Portanto, é evidente que está em campanha eleitoral. Ela lá há-de querer perante a instituição mostrar que defende todos os princípios do Fundo. Há este elemento político que acho que é indissociável da posição extrema que está a ser tomada pelo FMI"








retomar as negociações no sábado