Henrique Medina Carreira considera que um dos problemas da política em Portugal é a não renovação das “caras” de quem a faz, deputados que apelida de “profissionais da política”.

No programa “ Olhos nos Olhos” da TVI24, que esta segunda-feira debateu o tema “ A Democracia em Portugal”, Medina Carreira disse que há deputados que não sabem fazer mais “nada”, e que por uma questão de “sobrevivência” se mantêm no ativo, prejudicando a democracia portuguesa.

O comentador da TVI diz que se as condições económicas e sociais atuais fossem outras, talvez pudesse ser atribuído um “ subsídio” a estes deputados, para que se retirem e deem lugar a outros.
 

“Uma coisa que é fatal (…) é um fenómeno que ocorreu, com consequências nefastas, a partir dos anos 90, são os ‘profissionais da política’. Aquelas pessoas [que não] têm curso de nada, ou têm um ‘cursozeco’ daqueles com equivalências e portanto não podem fazer nada [quando deixam a política]. (…) Têm mulher e filhos, precisam de viver, e sobrevivem nisto. Fui contra as [pensões vitalícias], mas sou partidário disso”.


Medina Carreira defende que se isso não acontecer, o parlamento português terá cada vez “uma qualidade política menor”.
 

“Parecia uma esmola injustificada, mas hoje acho que, para convidar as pessoas a não ocupar o palco político tanto tempo, por razões de sobrevivência pessoal, era um subsídio para ‘arejar’ o panorama político. Mas hoje, se calhar, isso não serve e já não é possível. Sem se mexer nisto, vamos ter cada vez mais partidos piores, gente cada vez mais dependente dos partidos, e por conseguinte qualidade política cada vez menor”.