sondagem à boca das urnas

“As dúvidas que tanta polémica provocaram tinham razão ou não tinham razão? A coligação fica na maioria absoluta ou perto da maioria absoluta com uma margem grande em relação ao Partido Socialista, legitimando portanto a ideia de um Governo da Coligação? Ou a proposta alternativa, apresentada na ponta final da campanha por António Costa e há uma proximidade muito grande e que significa que pode haver uma coligação negativa PS com viabilização PCP-Bloco de Esquerda num Governo de Portugal?”, questionou Marcelo Rebelo de Sousa.

Comentando a reação do PS, pela voz de Duarte Cordeiro, às projeções que dão a vitória à PàF nas eleições legislativas, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou: "O PS faz a leitura de que há uma maioria desfavorável à PàF, é a tal leitura: ‘não tendo maioria absoluta, fazemos nós o Governo’.”

Questionado sobre se António Costa se mantém no PS ou se opta por se demitir, caso os resultados eleitorais confirmem a derrota do PS, Marcelo Rebelo de Sousa aponta para uma continuidade do atual líder socialista.

“Esta declaração [de Duarte Cordeiro] vai na linha de António Costa resistir e entender que tem condições de vir a ser primeiro-ministro”, afirmou.