O Eurodeputado do CDS, Diogo Feio, considera que a greve de 10 dias anunciada pelo Sindicado dos Pilotos da TAP é uma «garotice» e uma atitude «antipatriótica» que vai prejudicar o setor do turismo, vital para a economia portuguesa.

No programa «Política Mesmo» da TVI24, em debate com a eurodeputada Ana Gomes, Diogo Feio disse que esta greve é uma «total irresponsabilidade».

«Aquilo que temos estado a assistir é uma atitude que ultrapassa bastante uma garotice. É uma atitude antipatriótica, porque fazer uma greve de 10 dias que tem um custo direto de 70 milhões de euros, fora todos os outros, a cinco dias da entrega de propostas, numa altura que o turismo tem exercido a função de motor da economia, é de uma total irresponsabilidade».


Por sua vez, Ana Gomes diz que a greve vai pôr em causa a privatização da TAP, e que o processo deve ser travado. Porém, a eurodeputada não concorda que os pilotos tenham mais direitos que outros trabalhadores e acredita que as pretensões destes nunca foram prometidas por nenhum Governo.

«Os argumentos que são utilizados pelo Sindicato dos Pilotos causam-me muitas dúvidas. Ainda há pouco ouvi o [ex-ministro] João Cravinho dizer que nunca tal pretensão tinha sido homologada por nenhum governo, [nem] percebo por que é que os pilotos da TAP têm mais direitos que outros trabalhadores da [empresa]. Agora, acho que [a greve] vai certamente [pôr a privatização] em causa, e talvez do pior modo possível, [mas] a TAP nunca devia estar a ser privatizada. (…) Aquilo que se justifica é parar o processo de privatização e esperar pelas eleições, [para] depois se pensar como se vai reestruturar a TAP de uma forma que seja consensual, que permita a entrada de capital privado, sendo que o Governo deve manter sempre a governação de uma empresa que é estratégica para o país».