Constança Cunha e Sá considera que o apoio de quatro históricos do PS a António Costa foi «um atestado de óbito» a António José Seguro.

«Quase todo o PS, a nível de dirigentes, está com Costa. Não sei o que aconteceria se Seguro ganhasse. Os quatro históricos [Jorge Sampaio, Almeida Santos, Manuel Alegre e Vera Jardim] passaram um atestado de óbito a Seguro de uma forma muito elegante. Se Seguro ganhar, como se reconstrói o partido?», questionou.

Sobre a entrevista de António Costa à TVI24, a comentadora defendeu que o candidato ainda não esclareceu as suas posições, por exemplo, «sobre o tratado orçamental, a questão da dívida ou os impostos», pelo que pedir o voto sem uma definição é «qiase pedir um cheque em branco».

Já sobre as alegadas irregularidades nas eleições para a distrital de Lisboa, Constança lamenta que mostre «o pior que há nos partidos». «E dá uma péssima imagem do PS. Esta disputa no PS devia ser decidida no mais curto espaço possível e não foi», concluiu.