Constança Cunha e Sá disse, esta terça-feira, que o problema da colocação de professores se tornou irresolúvel. Na TVI24, a comentadora sublinhou que o que se está a passar nas escolas é uma «pouca-vergonha política» e voltou a pedir a demissão do ministro da Educação.

 

No dia em que um novo balanço apontou que continuam a faltar professores para 128 horários completos, Constança Cunha e Sá interrogou-se sobre como é possível que o ministro Nuno Crato se mantenha em funções. Para a comentadora, chegar a novembro com milhares de alunos sem aulas, numa altura em que outros já estão a fazer testes, revela «uma falta de respeito absoluta pelos portugueses, pelos professores, alunos e pais e revela uma arrogância absoluta em relação às condições que é necessário exercer o poder político».

     

Constança Cunha e Sá defendeu que Nuno Crato não só não tem condições para se manter como ministro, como não está o resolver o problema: «Por uma razão muito simples, infelizmente. Porque este problema já não tem solução. Os alunos que foram afetados, que estão há um mês e meio sem aulas, já não têm forma de recuperar, nem os alunos mais velhos em anos de exames, nem os mais novos do 1º Ciclo».