Constança Cunha e Sá mostrou-se, esta sexta-feira, indignada com a notícia de que figuras com grandes responsabilidades como o Presidente da República, o primeiro-ministro, a ministra das Finanças, o presidente da Comissão Europeia, além do Governador do Banco de Portugal, sabiam que havia um problema complicado no BES e, mesmo assim, permitiram um aumento de capital do banco, que levou ao prejuízo de centenas de investidores. Na TVI24, a comentadora deixou uma pergunta: «Afinal, quem é que não sabia o que se estava a passar no BES?».

No dia em que o semanário «Sol» publicou revelações de várias reuniões do Conselho Superior do GES, Constança Cunha e Sá sublinhou que, afinal, toda a gente sabia que havia um problema de idoneidade na liderança do banco e, mesmo assim, autorizaram um aumento de mil milhões de capital, «em que as pessoas de boa-fé foram comprar ações do BES, porque na altura toda esta gente (…) dizia que o BES era um banco sólido, que estava ótimo e as pessoas acreditaram».

«Como é que se permite enganar investidores? Como é que se deixa fazer um aumento de capital nestas circunstâncias, quando o próprio governador do Banco de Portugal põe em causa a idoneidade da liderança do banco?», questionou a comentadora. «Isto para mim é gravíssimo. Mostra, de facto, que não há ninguém que saia bem desta história», concluiu.