Constança Cunha e Sá considerou, esta terça-feira, que a «não é só a esquerda que está radiante» com vitória do Syriza na Grécia.

««Não é só a esquerda. Radiante talvez seja excessivo a outros setores da sociedade portuguesa, mas eu acho que qualquer cidadão português que não reconhece na austeridade uma via única e a única via para a salvação da Europa vê com alguma expectativa a vitória do Syriza. Portanto, é natural que pessoas da direita à esquerda, até porque como se vê na Grécia e até um pouco aqui em Portugal, a divisão esquerda e direita cedeu um pouco espaço a uma oposição mais premente, que é uma oposição mais a favor ou contra a austeridade», afirmou.


Segundo a comentadora da TVI, também «as pessoas que assinaram o «Manifesto dos 74» que exigia exatamente a renegociação da dívida portuguesa» veem, «com certeza», na eleição do Syriza «mais um sinal de otimismo para que a renegociação das dívidas seja uma coisa que seja posta em cima da mesa».