Constança Cunha e Sá disse, esta sexta-feira, que a líder da Frente Nacional, partido francês de extrema-direita, vai saber retirar benefícios de não ter sido convidada para a marcha pela República, convocada para domingo, em Paris, em solidariedade com as vítimas do ataque ao jornal satírico «Charlie Hebdo». Na TVI24, a comentadora chamou a atenção para a exploração que Marine Le Pen pode fazer da situação.

«O problema é que eu acho que isto [exclusão da marcha pela República] vai ser contraproducente e que ela vai saber aproveitar isso para puxar votos para o seu lado», afirmou a comentadora, no espaço de análise nas «Notícias às 21:00».


Citando comentadores franceses para quem a exclusão de Marine Le Pen é prejudicial porque a coloca numa posição de vítima, Constança Cunha e Sá sublinhou que «estes episódios deram uma força significativa a Marine Le Pen, que já tinha ganho as eleições nas Europeias».

«Eu penso que isto pode ter sido um balão de oxigénio para Marine Le Pen», rematou.



Leia também«Charlie Hebdo»: a oportunidade da extrema-direita?