Constança Cunha e Sá considera que Mario Draghi «disse mais ou menos o óbvio» ao admitir um período de transição para Portugal com um novo programa.

«Com taxas de juro de 6%, alguém está à espera que daqui a seis meses entremos diretamente nos mercados sem qualquer programa de ajuda? Não vejo como é que é possível», afirmou.