«Esta decisão não tinha que ser tomada agora. O BCE encosta a Grécia à parede, impõe uma decisão muito rápida quando os gregos pediam mais tempo e tudo é feito nas costas da Grécia e na véspera da reunião com o ministro das Finanças alemão e uma semana antes da reunião do Eurogrupo».