Na rubrica Sobe e Desce da 21ª Hora, a comentadora colocou Calvão da Silva a descer. Para Constança Cunha e Sá, o ministro "tanto aparece como pregador como angariador de seguros" e só faltou ter falado "na arca de Noé".

"Temos um ministro que tanto depressa nos aparece como pregador como agente de seguros. Só faltou falar na arca de Noé. O meu problema não é falar de religião nem de falar de Deus. O desconchavo disto tudo é que é tristíssimo. Vê-se que saiu do fundo do tacho do PSD. Aparece-nos um pregador no meio das cheias e angariador de seguros."

Constança Cunha e Sá rematou, sublinhando que o discurso do governante não foi o de um político e não fez sentido. "Não é o discurso de um político, não faz sentido." 

Quem também foi colocado a descer foi Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, por ter desvalorizado os desacatos causados por adeptos do FC Porto a bordo de um avião que, na sequência dos distúrbios, teve de aterrar de emergência.

"Os Super Dragões dizem que não se passou nada de especial e o piloto do avião decidiu aterrar de emergência em Roma por causa disto. [...] São comportamentos absolutamente lamentáveis."

A subir, a comentadora colocou o tenista português João Sousa que ganhou, este fim de semana, o seu segundo torneio ATP da carreira.