logotipo tvi24

«A capacidade de influência do Presidente sobre o Governo é nula»

Comentário de Constança Cunha e Sá na TVI24

Por: Redacção    |   2013-03-06 22:17

Constança Cunha e Sá considera que «o ponto fulcral» no regresso às intervenções públicas do Presidente da república nesta quarta-feira «foi explicar o silêncio de dois meses». «Presumo que tenha a agenda preenchida, mas isso não justifica o silêncio», analisa a comentadora da TVI24.

«A capacidade de influência do Presidente da República sobre o Governo é nula», conclui Constança Cunha e Sá acrescentando que as palavras de Cavaco Silva «não são tidas em conta» pelo Executivo. Cavaco Silva é, assim, «o primeiro a reconhecer que a [sua]mensagem de ano novo não teve qualquer influência sobre a atuação do Governo».

As palavras que o Presidente da república «disse há três meses mantêm-se atuais hoje». «O que Cavaco Silva vem dizer é que nada mudou e que ele é impotente», diz Constança Cunha e Sá.

A comentadora da TVI24 considera que o Presidente «devia tirar ilações do facto de não ser ouvido de todo pelo Governo» sublinhando que o Executivo «não ouve ninguém» e que não ser ouvido «não é exclusivo do Presidente da República».

Constança Cunha e Sá afirmou também que a posição do primeiro-ministro a referir que era i>sensato baixar o salário mínimo «demonstra que o Governo não tem resposta nenhuma sobre o desemprego» e também a «insensibilidade perante uma sociedade que está a destruir».

Pedro Passos Coelho «só pode governar em função da Troika». «Há um distanciamento cada vez maior entre o Governo e os portugueses» Pedro Passos Coelho também «tem de tirar ilações disso».

Referindo que «há sensibilidades diferentes no Governo», nomeadamente na relação com o PS, Constança Cunha e Sá diz que o que fica do discurso de Passos Coelho no Parlamento nesta quarta-feira «é um primeiro-ministro obstinado, isolado, que recusa encarar a realidade, que não vai utilizar os instrumentos que a Europa lhe pode dar de mais dívida e prolongamento do défice para aliviar a austeridade, mas sim para carregar mais neste corte de quatro mil milhões».

Partilhar
EM BAIXO: Constança Cunha e Sá na TVI24
Constança Cunha e Sá na TVI24

«Se António Costa for primeiro-ministro é mais fácil o TC deixar passar»
Comentário de Marcelo Rebelo de Sousa no «Jornal das 8» da TVI
«Governo deve ter boas notícias» no Constitucional
Marcelo Rebelo de Sousa critica «pressão tosca» do PSD sobre os juízes do Palácio Ratton
«Informação privilegiada para acionistas do BES terá partido de Bruxelas»
Comentário de Marcelo Rebelo de Sousa no «Jornal das 8» da TVI
EM MANCHETE
«Temos concursos abertos num valor sem precedentes»
Ministro da Saúde reage à greve dos médicos no Algarve, que diz só ter tido impacto no sector público
Rapaz de 13 anos terá ateado sete fogos
Certificados de aforro: Estado já arrecadou 11,1 mil milhões