Carlos Abreu Amorim considera que a liderança de António José Seguro é «enfraquecida» pelas críticas internas, como as de Carlos César, António Costa e Francisco Assis nos últimos dias, a propósito da lista do PS para as eleições europeias.

«É uma liderança enfraquecida e, ao atacarem sem tom nem conteúdo a liderança, fazem com que Seguro não tenha a robustez política para fazer o que o país precisa que são os consensos», lamentou.

«O que estão a fazer a Seguro é inenarrável do ponto de vista da ética política (...) É uma luta interna não propriamente baseada em ideologias ou medidas. É uma luta canibal pelo poder», acrescentou.

Já Ana Gomes diz que estas vozes do PS estão a «correr o risco de estar a fazer o jogo dos adversários». No entanto, acredita que o partido «vai ter um grande resultado nas eleições europeias».