logotipo tvi24

Opinião: «O que estamos à espera para travar esta lógica que faz o jogo da banca?»

Eurodeputada Ana Gomes mostra-se decepcionada com os resultados do acordo entre o Governo e o principal partido da oposição para «rechaçar o ataque aos especuladores»

Por: Redacção / MM    |   2010-05-03 17:35

Ana Gomes considera que o encontro entre o primeiro-ministro e o líder da oposição para fazer face à descida do rating do país acabou por ser decepcionante. «Mas a montanha acabou por parir um rato. Um rato largado contra os desempregados, que não têm culpa da crise provocada pelos especuladores financeiros», considerou, no espaço de opinião do TVI24, palavras assinadas.

«Um rato que não se sabe quanto aliviará ao Orçamento do Estado», sublinhou.

«Não se percebe a lógica, sobretudo quando o governo diz que não há ataques especulativos que o façam desistir do programa de obras públicas. Neste programa há um projecto em que Portugal está internacionalmente vinculado e que é estratégico para o seu desenvolvimento. O TGV Lisboa ¿ Madrid. Mas este e todos os outros projectos vão implicar que as empresas e o estado façam mais do mesmo, que alimenta e atiça os especuladores financeiros, que é ir buscar dinheiro ao exterior, agravando a dívida pública», explica a eurodeputada.

Assim, Ana Gomes exorta o Governo a emitir «empréstimos obrigacionistas públicos que captem e incentivem as poupanças dos portugueses e travem o endividamento do país ao exterior». «O que é que estamos à espera para travar esta lógica que faz o jogo da banca e dos especuladores financeiros internacionais?», remata.

Partilhar
EM BAIXO: Ana Gomes
Ana Gomes

Constança Cunha e Sá sobre BES: «Não há almofada que cubra isto»
Comentadora da TVI analisa o caso BES na TVI24
«Estamos tão dependentes da troika como estávamos»
Comentário de Constança Cunha e Sá na TVI24
«Maria Luís Albuquerque é a campeã das políticas do Eurogrupo»
Comentário de Augusto Santos Silva no programa «Política mesmo» da TVI24
EM MANCHETE
BES com prejuízos históricos
Contas negativas em quase 3,6 mil milhões de euros e banco irá necessitar de aumento de capital
BdP aponta para atos de gestão graves da equipa de Salgado
DCIAP faz buscas na sede da Rioforte