Manuela Ferreira Leite comentou, esta quinta-feira, no seu espaço de opinião na TVI24, a proposta do Governo de redução de vagas nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto.

Para a antiga ministra das Finanças, o ministro do Ensino Superior "desconhece" que "neste momento o que se discute não são numeros clausos – porque o número de alunos tem diminuído" e que não se pode "pegar nos alunos e empurrá-los" para onde quiser.

"A ideia do ministro do ensino superior de dar a sua contribuição para o desenvolvimento do interior, que todos reclamam que precisa de ser desenvolvido, não arranjou nada melhor se não dizer que ia reduzir as quotas de número de alunos de Lisboa e Porto para que essa falta empurrasse os alunos para o interior. Não sabia que ele desconhecia que neste momento o que se discute não são números clausos e que desconhece, pelos vistos, que num país em que se fala em start ups e no poder de inovação dos jovens ... acha que podemos pegar neles e empurrá-los para onde quisermos".

A comentadora da TVI24 afirmou que essa ideia é "energia dirigista absolutamente inaceitável neste momento" e que causa outros problemas aos estudantes,  uma vez que prejudica as pessoas com menos rendimentos. 

"[É] uma medida que evidentemente só podia prejudicar as pessoas com menos rendimentos, porque as pessoas com mais rendimentos, se não ficam em Lisboa, se calhar vão para Londres ou vão para uma privada. Os outros, não tem essa solução e portanto terão que ir provavelmente para longe da família em condições mais difíceis".

Manuela Ferreira Leite mostrou-se ainda incrédula pelas últimas declarações do ministro do Ensino Superior que, na passada terça-feira no Parlamento, afirmou que a redução de vagas nas instituições de ensino superior públicas de Lisboa e Porto é apenas uma proposta, não uma decisão tomada.

"Não sei mesmo o que é que isto quer dizer, mas algo lhe vai pela cabeça no sentido de considerar que deu o seu grande contributo para o desenvolvimento do interior”, reiterou.