Constança Cunha e Sá considera que António Costa está agora nas mãos de José Sócrates e sublinha que a prisão domiciliária do ex-primeiro-ministro vai agravar ainda mais a influência do caso na campanha dos socialistas. Para a comentadora da TVI, "tudo vai depender da atuação de Sócrates" pois com a nova medida de coação, o ex-governante já pode dar entrevistas.

"António Costa está nas mãos de José Sócrates. Sócrates já não está proibido de dar entrevistas. Tudo vai depender da atuação de José Sócrates. Sócrates considera-se um preso politico e essa é uma visão contraria à de Anónio Costa."

No Jornal das 8 da TVI, Constança Cunha e Sá frisou que José Sócrates considera-se um preso político, numa ideia que é contrária à do sercretário-geral do PS, que tem vindo a defender a separação dos assuntos de Justiça e das matéria de natureza política.

"António Costa tem repetido que uma coisa é a Justiça e outra é a política e num mundo ideal assim seria, mas a verdade é que não é assim e já se nota. Sócrates considera-se um preso politico e essa é uma visão contrária à de António Costa."

Por seu lado, o advogado Carlos Pinto Abreu, criticou a atitude dos advogados do ex-primeiro-ministro.

"Os magistrados têm o dever de reserva e os advogados têm o dever de não discussão na praça pública."

O convidado do Jornal das 8 deste sábado frisou que Sócrates têm o direito de se pronunciar sobre o seu processo, mas os profissionais de Justiça "não devem dizer o que se diz".

"O cidadão visado tem o direito de se pronunciar sobre o seu processo e pode entender que qualquer indiciação tem outras causas que não as da Justiça. Os profissionais de Justiça não devem dizer o que se diz."