21 funcionários da Cruz Vermelha Internacional foram afastados por má conduta sexual. Outros dois elementos não viram os contratos renovados por suspeitas de também terem pago por serviços de natureza sexual. A organização não-governamental (ONG) britânica, Plan internacional, confirmou seis casos de abuso sexual de menores e de exploração infantil cometidos por trabalhadores da ONG.

Outra organização humanitária internacional,  a Oxfam, viu-se envolvida num escândalo, depois da descoberta de graves infrações e abusos sexuais cometidos por funcionários em países como o Haiti e a Libéria.

Na semana passada, outro caso veio a público com a demissão do "número dois" da Unicef - Fundo das Nações Unidas para a Infância- que foi acusado de comportamento inapropriado com colegas do sexo feminino.