Um grupo de investigadores desenvolveram uma tecnologia que permite os homens e as mulheres de trocarem de corpo. Não no sentido literal, mas através de um aparelho e uns óculos que quando postos dão a sensação que temos um corpo diferente.

O projeto, chamado «The Machine To Be Another», está a ser desenvolvido pelo BeAnotherLab, um grupo de estudantes da Universidade Pompeu Fabra, em Barcelona.

A experiência permite aos utilizadores sentirem todos os movimentos que o outro faz através de um aparelho, o Oculus Rift. Segundo Philippe Bertrand, um estudante de arte digital e um dos fundadores do grupo, os dois utilizadores «no fundo sabem que aquele não é o corpo deles mas parece que é».

O projeto já despertou a atenção a vários artistas, terapeutas e até antropologistas, que mostraram grande interesse em aplicar a experiência nas áreas do Estudo do Género, nas artes e na neuroreabilitação.

BeAnotherLab é um grupo que trabalha nas áreas da realidade virtual e neurociência e é inspirado noutros grupos como o Group Ehrsson, em Estocolmo e o Event Lab, em Barcelona. O objetivo é entender a complexidade da mente.