O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, enalteceu a «lucidez política» do conselheiro económico socialista Óscar Gaspar sobre uma eventual reposição de rendimentos dos portugueses.

«Encaramos estas declarações como um ato de lucidez política e que ao mesmo tempo nos trazem esperança para aquilo que julgamos ser fundamental não para este Governo mas para o país: os três partidos do arco da governabilidade chegarem a entendimento sobre matérias essenciais», disse Nuno Magalhães em declarações à agência Lusa.

Declarando esperar que as palavras do conselheiro «sejam as que correspondem ao pensamento real do PS», o centrista disse ainda esperar que não aconteça no PS o que já sucedeu com instituições da troika, por exemplo, onde «os responsáveis diziam uma coisa e os técnicos faziam o contrário».

Na quarta-feira à noite, na SIC Notícias, e questionado sobre se o PS quando for Governo repõe os salários, pensões e prestações sociais ao nível de 2011, o conselheiro económico do PS Óscar Gaspar respondeu: «A resposta séria é não. Nem os portugueses imaginariam, nem nunca ouviram do líder do PS nenhuma proposta demagógica para voltarmos a 2011 porque não é possível. As contas públicas portuguesas não o permitem».

A explicação do PS

Os pedidos de esclarecimentos do PSD

A reação do BE: «PS não pode ser contra a austeridade só metade dos dias da semana»