O primeiro McLaren Senna foi entregue nesta semana e a estreia ao volante do supercarro que tem o nome do piloto brasileiro com o chassi n.º1 foi feita pelo seu proprietário com uma viagem de 1.400 km de Woking, na Grã-Bretanha, até Paul Ricard, em França.

O empresário londrino David Kyte recebeu o primeiro McLaren Senna produzido, numa cerimónia no McLaren Technology Centre, em Woking, onde rodou com o seu novo carro pela primeira vez.

Depois, foi altura de fazer uma viagem de 1.400 km até Paul Ricard, para Kyte fazer no circuito francês o Pure McLaren, programa de condução da McLaren Automotive. O empresário guiou o seu novo carro acompanhado por mais cinco McLaren: outros três Senna, um 720S e um 600LT.

O McLaren Senna foi concebido pela marca britânica para ser o seu mais potente carro com desempenho de pista homologado para a estrada. A aceleração dos 0 aos 100 km/h faz-se em 2.8 segundos e a velocidade máxima é de 350 km/h. O preço de cada uma das 500 unidades previstas supera os 800 mil euros.

O primeiro carro entregue exibe o logótipo Senna em vários pontos, incluindo com a assinatura do falecido piloto brasileiro junto da inscrição do chassi n.º001, tendo outros pormenores como os anos em que o brasileiro foi campeão do mundo gravados no pedal do acelerador ou o desenho do Circuito de Interlagos na frente de um carro branco e azul.