A aposta para o futuro da mobilidade com a redução das emissões de gases de poluentes passa nos próximos anos pelos carros elétricos. Mas para muitos este novo meio de mobilidade é ainda um verdadeiro desafio.

Há veículos elétricos, híbridos, há veículos PHEV, há o WLTP, em suma, há uma série de acrónimos novos que chegam com as novas propostas de mobilidade e de circulação – não apenas com a eletrificação em concreto, mas também com a tecnologia que a acompanha de forma relacionada ou em paralelo.

Entender a nova nomenclatura da indústria automóvel (ainda) nem sempre é fácil e por isso o Autoportal reuniu algumas das siglas mais utilizadas explicando-lhe os respetivos significados para que não se deixe ultrapassar pelos tempos que correm.

EV (Electric Vehicle)

Veículo elétrico.

FEV (Full Electric Vehicle)

Veículo exclusivamente elétrico.

BEV (Battery Electric Vehicle)

Veículo elétrico de baterias. Estas três primeiras siglas remetem todas para a mesma realidade: um carro totalmente elétrico com baterias como fonte exclusiva de energia.

HEV (Hybrid Electric Vehicle)

Veículo elétrico híbrido, ou seja, possuindo dois tipos de motorização - com propulsão elétrica e por combustão.

MHEV (Mild Hybrid Electric Vehicle)

Veículo elétrico híbrido leve com uma bateria de 48 volts.

PHEV (Plug-In Hybrid Electric Vehicle)

Trata-se de um veículo híbrido projetado para ser recarregado também por uma fonte de energia elétrica externa, como uma tomada («plug»).

FCEV (Full Cell Electric Vehicle)

Carro elétrico que faz uso exclusivo do sistema de célula de combustível (hidrogénio) como fonte de energia para a propulsão.

ICE (Internal Combustion Engine)

Sigla utilizada pela indústria automóvel para designar os veículos de combustão interna. São os mais comuns no trânsito e aqueles cuja existência está «ameaçada» pelo elétricos.

PCR

Postos de carregamento rápido.

PCN

Postos de carregamento normal – os mais comuns nas nossas cidades.

WLTP (Worldwide Harmonised Light Vehicles Test Procedure)

Procedimento de testes de homologação dos veículos em relação à emissão de gases poluentes (CO2 em particular) e ao consumo de combustível (incluindo as energias alternativas). Em vigor desde setembro de 2017, substitui progressivamente o NEDC, num regime de transição até setembro de 2018 tornando-se então exclusivo na homologação dos novos veículos colocados à venda.

NEDC (New European Driving Cycle)

Ciclo de homologação concebido nos anos 1980 e, agora, desatualizado e tendo os dias contados para ser substituído pelo novo ciclo WLTP – num processo que começou em setembro de 2017. Em setembro deste ano deixa de ser possível a homologação NEDC dos novos carros. Modelos em fim de série com homologação NEDC que tenham ficado em stock ainda poderão ser vendidos durante um ano.